Notícias

Tudo sobre a RM VALE TI
25
out

3ª dia da RM VALE TI 2018 aborda tecnologias para melhorar experiência no varejo

A 5ª RM VALE TI dedicou seu último dia às tecnologias aplicadas ao varejo. No Congresso de Tecnologia e Inovação, três painéis trouxeram tendências e experiências desse setor com o uso de TICs.

No painel Desafios e resultados das TICs aplicadas ao varejo, Alexandre Robazza, gerente regional do Sebrae-SP, abordou os principais cases do mundo, que têm sucesso no uso de novas tecnologias para melhorar a experiência de compra do cliente, como a Amazon Go, nos EUA, e a Ali Baba, na China. “O maior valor do consumidor hoje é o tempo. Se a tecnologia não reduz atritos, ela não melhora a experiência de compra”, alertou.

Ao lado de outros especialistas, Robazza mostrou as diferentes tecnologias usadas no varejo e como elas contribuem para a competitividade das empresas brasileiras.
À tarde, os painéis mostraram como internet das coisas, inteligência artificial, sistemas de vendas online, dados em nuvem, aplicativos e vitrines virtuais formam um grande leque de opções para os varejistas atraírem e fidelizarem consumidores.

“A inteligência artificial é um dos alicerces desta nova era, é essencial para as novas experiências de consumo”, disse Henrique Albuquerque, gestor da equipe Bradesco Inteligência Artificial (BIA) do Departamento de Pesquisa e Inovação do Bradesco.
Na última palestra, Osvaldo Spíndola da Silva Junior, analista de projetos da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), mostrou ao público o conceito do Laboratório de Inovação do Varejo (ProVa Lab), inaugurado em junho de 2018 pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MIDC) e pela ABDI.

“O ProVA tem o objetivo de apresentar tecnologias inovadoras para o mercado e promover atividades que ajudem a fomentar o varejo nacional. O laboratório conecta as associações representativa do varejo, agentes de inovação, empreendedores, investidores, aceleradoras e academia. Estimulamos iniciativas de inovação, implementamos projetos para a melhoria da produtividade, desenvolvemos desafios com startups e facilitamos a entrada das empresas no comercio eletrônico”, explica Osvaldo Junior, que está à frente do laboratório e trouxe cases de empresas instaladas no local.

É o caso da Shopper Um, startup que está no ProVa e que apresentou sua trajetória no painel. A empresa se define como uma prestadora de serviço que identifica a necessidade do varejista e oferece uma solução customizada, baseada em realidade aumentada e virtual. A tecnologia pode ser, por exemplo, uma tag que é lida pelo celular e oferece mais informações do produto ou cria uma interação com o cliente.
“Como a ABDI estimula o uso de tecnologias no varejo, o mercado voltou a creditar que é importante dar espaço para as novas soluções. O varejo ainda está engatinhando nessa discussão”, diz Priscila Serone, sócia da startup.

Para Osvaldo Junior, o varejista ainda precisa entender melhor como as tecnologias podem trabalhar a favor de seu negócio. “A palavra de ordem no mundo da inovação é a experimentação. O ideal é que o varejista comece com um pequeno investimento e passe a medir os resultados gerados. Assim, caso seja necessário mudar de rumo, o investimento não terá sido tão elevado. Na hora de selecionar uma solução, o varejista deve levar em conta a complexidade de implantação, a existência de uma equipe de suporte e o modelo de remuneração da tecnologia”, explica.

Realidade aumentada para varejo

 

Durante os três dias, o Sebrae-SP esteve à frente do espaço de realidade virtual, no qual os visitantes puderam conhecer gratuitamente a loja perfeita.
Com a ajuda dos óculos 3D, o usuário pode fazer um tour virtual pelo estabelecimento e aprenderá como melhorar a experiência de compra e venda e atrair mais clientes.
O principal objetivo da atração foi apresentar os conceitos de visual merchandising para quem já atua no varejo e para quem pretende investir nesse setor. “Fizemos nesses dias 150 atendimentos a pessoas de diferentes áreas de atuação, desde estudantes universitários até empresários do setor que ser mostraram muito interessados em se aprofundar no tema”, afirma Janice Junqueira, analista de projetos do Sebrae-SP.