Notícias

Tudo sobre a RM VALE TI
11
set

Entrevista: “Para as cidades, ter presença no mundo digital não é mais opcional”

A economista Marta Poggi é consultora de turismo, especializada em turismo inteligente, marketing digital e transformação digital no turismo, com 25 anos de experiência e atendimento de 500 empresas no Brasil e no exterior. É ainda fundadora do Blog Agente no Turismo.

Considera-se uma apaixonada por tendências, inovação e transformação digital no turismo, foco de consultorias que presta no Brasil e no exterior e também tema de sua palestra na RM Vale TI.

Nesta entrevista, Poggi avalia o turismo no Brasil e as mudanças impostas pela tecnologia e pelos turistas cada vez mais conectados.

 

Saiba mais sobre o painel Destinos Turísticos na Era da Conectividade

 

Como você vê o mercado do turismo no Brasil?

Vejo o turismo com muito otimismo, com muitas oportunidades de crescimento para quem deseja empreender ou já empreende no mercado de turismo com foco no turista conectado. Isso significa que as empresas e os destinos turísticos que conseguem ofertar serviços que atendem às novas demandas (experiências marcantes, vivências, gastronomia autêntica e turismo criativo) têm muitas oportunidades e seguirão crescendo, com certeza

Quais são as principais demandas do cliente cada vez mais conectado?

Empresários e gestores do turismo precisam entender que o consumidor mudou, está mais conectado e muito mais experiente. Ele busca experiências diferenciadas, quer que sua viagem seja especial e fique marcada para sempre. Além disso, o viajante 4.0 quer viver o local como um local.

Como as cidades brasileiras estão se adequando e se transformando para aderir ao conceito de destinos turísticos inteligentes?

Alguns destinos estão atentos às mudanças e têm incentivado a oferta de experiências turísticas. Também há casos de destinos que usam Big Data para tomar decisões estratégicas, como por exemplo os mercados prioritários para promoção e divulgação de suas marcas. Cidades que oferecem Wi Fi grátis e “selfie zones”, óculos de realidade virtual para dar “amostra grátis” do que pode ser vivenciado no destino, dentre outras iniciativas. Também noto que muitos destinos estão focando seus recursos para trabalhar o marketing digital para atrair o público alvo desejado.

Há algum case interessante no Brasil de turismo inteligente?

As nossas referências são sempre destinos internacionais. Mas vejo que algumas cidades, como Maceió (AL), têm investido em diversas iniciativas que devem gerar bons resultados nos curto e médio prazos.

Que tendências você identifica que possam ser aplicadas no trabalho dos municípios para atrair turistas?

Acredito que desenvolver experiências autênticas nos atrativos turísticos, restaurantes, hotéis etc. é fundamental para diferenciar os destinos. Hoje experiência já é realidade, não é tendência, mas ainda temos essa tarefa de casa para fazer. Em termos de promoção, penso que os destinos devem lançar mão das novas tecnologias, que estão cada vez mais acessíveis, para mostrar seus diferenciais. Exemplo: óculos de realidade virtual é uma excelente forma de mostrar o que pode ser vivenciado no destino e deixar o potencial turista com muita vontade de viajar ao local. Também considero essencial ter site eficiente e excelente desempenho nas redes sociais. É lá que as pessoas estão, e lá que elas começam a jornada de compra da viagem.

Na sua visão, que iniciativas e novas ferramentas são cruciais para atrair o turista e gerar uma boa experiência?

Em primeiro lugar, penso que é fundamental conhecer a oferta turística e decidir o perfil do turista (público-alvo) desejado. A partir daí, traçar objetivos, estratégias e metas. Ter boa presença no mundo digital não é opcional, ao contrário, é fundamental para que o cliente certo encontre o destino e serviço certo. E aí todas as ferramentas são importantes: site, blog, redes sociais, campanhas publicitárias (Google, Facebook e Instagram), dentre outras. Mas vejo que muitos destinos ainda usam essas ferramentas de forma amadora. Vejo sites desatualizados, canais nas redes sociais com pouquíssimo conteúdo e engajamento.  Hoje, 40% dos millennials escolhem um destino de viagem, hotel ou restaurante de acordo com sua capacidade de gerar boas fotos para o Instagram. Ainda há gestores de destinos que não entenderam que se sua marca não estiver bem posicionada no ambiente digital, ela não será escolhida pelo viajante moderno. Não apenas os jovens, mas também aqueles que têm mais de 40 anos. Hoje temos novos hábitos, novos comportamentos e novas necessidades, que surgiram a partir da penetração da tecnologia na sociedade.